Translate

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Um vaso escolhido

    "Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel" (At 9:15).


      Dizem por aí que a primeira impressão é a que fica, e a primeira vez que nos deparamos com a figura de Paulo (seu nome grego) também chamado Saulo (seu nome judaico) na Bíblia, não temos de início uma boa impressão acerca dele. Estevão estava sendo apedrejado por causa do seu testemunho que causara grande incômodo nos líderes religiosos (At 7). Saulo estava presente, guardando as vestes das testemunhas e consentindo na morte de Estevão, quer dizer, Saulo acreditava que aquela era a coisa certa a ser feita (At 8:1). Logo depois da morte de Estevão, tem início uma grande perseguição à igreja. E quem era um dos que invadiam as casas dos cristãos, arrastando homens e mulheres e lançando-os na prisão? Ele mesmo, o nosso querido Saulo: "E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão" (At 8:3). Bom, e se a primeira impressão é realmente a que fica, a de Saulo não seria lá essas coisas. Mas a história dele estava prestes a mudar drasticamente.
    Saulo não era qualquer pessoa, era um fariseu, profundo conhecedor da Lei mosaica e que teve por instrutor Gamaliel: "Quanto a mim, sou varão judeu, nascido em Tarso da Cilícia, e nesta cidade criado aos pés de Gamaliel, instruído conforme a verdade da lei de nossos pais, zelador de Deus, como todos vós sois" (At 22:3). E, no seu zelo pela lei, pega com o sumo sacerdote cartas para as sinagogas de Damasco com a finalidade de prender os crentes daquela cidade (At 9:2). É bom lembrar que naquela época haviam várias seitas judaicas e o Cristianismo era visto como mais uma. Haviam muitos líderes que perseguiam os cristãos por inveja, pois o Evangelho era acompanhado de manifestação do poder de Deus e isso era um dos motivos que fazia com que o Cristianismo crescesse cada vez mais. No entanto, Saulo não era motivado pela inveja e sim pelo cuidado de que os judeus cumprissem a Lei.
     Mas, no meio do caminho para Damasco, Saulo teve um encontro transformador com o Senhor Jesus: "Saulo, Saulo porque me persegues?" (At 9:4). E Saulo pergunta, sem conseguir entender o que estava acontecendo: "Quem és, Senhor?". E recebe a resposta: "Eu sou Jesus, a quem tu persegues" (At 9:4). Pensava ele estar combatendo contra os crentes, mas não era bem assim. Estava combatendo contra o próprio Senhor Jesus. Esse encontro foi tão impactante, que, na mesma hora, ele reconhece que Jesus é Senhor e pede orientação do que deveria fazer: "Senhor, que queres que faça?". Teve uma mudança de atitude instantânea, imediata.
   Ele entrou em Damasco completamente cego e, nesse ínterim, Ananias recebe uma mensagem de Deus, em visão, de que deveria ir ao encontro de Saulo. Ananias, tentou argumentar porque conhecia muito bem a fama dele, porém Saulo havia sido escolhido por Deus: "...este é para mim um vaso escolhido..." Jesus o escolhera e ponto final. Não importava mais seus erros, sua história de perseguidor, nada disso importava mais...não pra Deus. Depois de sua conversão, Saulo enfrentaria ainda muitas dificuldades. Os irmãos não criam em sua conversão: "E, quando Saulo chegou a Jerusalém, procurava ajuntar-se aos discípulos, mas todos o temiam, não crendo que fosse discípulo"(At 9:26). Era o início dos sofrimentos de Paulo, uma coisinha que vemos até hoje entranhada em nossas igrejas: o julgamento pelos erros passados das pessoas que se convertem, como se não pudessem mudar de atitude. Pregamos que Deus muda a vida das pessoas, mas, às vezes, agimos como se isso não fosse uma verdade.


      Quando somos escolhidos por Deus, Ele sabe exatamente onde podemos e onde iremos chegar e a frutificação que poderemos produzir em prol do Reino. Saulo fora escolhido para produzir frutos no Nome do Senhor, Jesus deixa isso bem claro a Ananias: "...para levar o meu nome...". Vaso escolhido tem utilidade, é escolhido com um determinado objetivo e o de Saulo era ser um propagador das boas novas de salvação. E ele entendeu sua responsabilidade de uma forma tão intensa e profunda que chega a declarar: "Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação, e ai de mim, se não anunciar o evangelho!" (I Co 9:16). Isso nada tem a ver com funções eclesiásticas, trata-se, antes de mais nada, de compreender qual nossa responsabilidade diante da ordem dada por Cristo: "Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura" (Mc 9:15). Trata-se do desejo ardente de compartilhar com o mundo, com a família, os parentes, os amigos, e até com os inimigos, a boa nova de que em Jesus há salvação: E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (At 4:12).
   Ser escolhido não significa isenção de problemas e dificuldades. Saulo enfrentou muitas adversidades: "Em trabalhos e fadigas, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez" (II Co 11:27). Significa ser sustentado pela graça divina em meio a qualquer dificuldade ou fraqueza: "E disse-me: A minha graça te basta..." (II Co 12:9a). É essa graça, esse favor imerecido, que recebemos do próprio Deus para suportar e avançar e caminhar e não desistir e continuar e seguir em frente e ir...Diante de todas as barreiras que Paulo enfrentou no exercício do ministério, foi essa maravilhosa graça que o impulsionou a chegar até o fim e ainda poder dizer: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda" (II Tm 4:7,8). A fé não desfaleceu e a esperança de um galardão vindouro permanecia.
   Independente das dificuldades que você esteja enfrentando, se crês que és um escolhido de Deus, continue perseverando, pois na sua vida se cumprirão os propósitos de Deus. Nada, ninguém, e nem alguma coisa no mundo espiritual ou físico pode impedir a obra que Deus inicia na vida de um vaso escolhido: "Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo" (Fp 1:6).
E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

Atos 4:12
  

E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

Atos 4:12

9 comentários:

  1. Ser um vaso escolhido, ser usada, ser moldada, se preciso for quebrada e refeita pelo oleiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é oleiro e dá a forma e a finalidade que quer ao vaso.

      Excluir
  2. Linda mensagem! Obrigada pelas palavras de ânimo. Que Deus abençoe o se ministério.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Gorete, Deus abençoe sua vida.

    ResponderExcluir
  4. Linda mensagem! Te convido para conhecer meu blog:
    http://mundinho-de-arianne.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. oi vim do agenda dos blogs conhecer seu cantinho gostei e estou te seguindo venha conhecer o meu se gostar me siga também é lindo.adorei. bj http://pontocruzdapri.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. oiiiiiiiiiiiiiii, amiga lindaaaaaaaaaa,amei seu blog, parabéns!!!! , vim da Agenda dos Blogs, estou te seguindo.
    Deus te abençoe, lindaaaaaaaaaaaa

    http://rubiaartes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Boa esta mensagem Fernanda. Realmente devemos ter cuidado com os novos na fé, se Deus os escolheu e os limpou quem somos nós para julgar o seu passado?
    Muito bem lembrado este exemplo de Saulo, que mesmo com uma primeira impressão negativa, foi usado por Deus, ganhou um novo nome e além do mais nos deixou bons exemplos para nossa caminhada.
    Glória a Deus que nos faz ser vaso escolhido.
    Paz querida!

    ResponderExcluir

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!