Translate

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

O menor da casa - Gideão

   O livro de Juízes relata um período de aproximadamente 300 anos da história do povo de Israel. Período marcado por um ciclo de queda,opressão, arrependimento, libertação, queda e assim sucessivamente.
   Após a morte de Josué e de toda a geração daqueles que conquistaram Canaã, levantou-se uma nova geração que não conhecia ao Senhor nem os seus feitos em favor do seu povo (Jz 2:7-10). Foi então que os filhos de Israel abandonaram o Senhor e se voltaram para os baalins (Jz 2:11).
   O capítulo 6 relata mais um desses períodos de servidão e opressão vivenciados em consequência do pecado:

  • Estavam há 7 anos debaixo do jugo dos midianitas (v.1); Mas os midianitas não eram seu único problema, os amalequitas e os do Oriente também vinham contra Israel e levavam todo o fruto do seu trabalho (vv. 3,4);
  • Devido aos ataques que sofriam, empobreceram muito (v.6);
  • Devido à opressão e aos constantes ataques que sofriam, construíram covas e cavernas para se esconderem (v. 2). Estavam vivendo uma situação de humilhação e medo;
  • Então clamaram ao Senhor (vv. 6,7). 
   É interessante notar em todo o livro dos Juízes que a busca a Deus só acontecia depois de muitos anos de opressão. Eles estavam em extrema agonia e dificuldade, suas famílias (crianças, jovens, mulheres, velhos, todos) padecendo necessidades, mas eles só recorreram a Deus quando não aguentavam mais. Entenderam que não possuíam forças para vencer o inimigo e a atitude que tomaram foi a de buscar socorro em Deus. 
   Existem situações que fogem do nosso controle e para algumas pessoas (principalmente aquelas que gostam de manter tudo sob controle), isso é desesperador. é o momento de buscarmos a solução em Deus. E nessa hora é preciso entender também que Ele não vai agir de acordo com nossas expectativas, mas sim de acordo com a vontade dEle.
   Após clamarem ao Senhor, Deus vai ao encontro de Gideão:

  • Gideão estava trabalhando (v. 11). Estava malhando trigo no lagar. Lagar não é lugar de se malhar trigo (o trigo era malhado em lugares altos para que o vento pudesse bater e espalhar a palha que se soltava do grão) e sim de prensar uvas, mas Gideão trabalhava dentro de suas possibilidades. No lagar (um lugar baixo, escondido), o trigo não ficaria visível para que os inimigos viessem e roubassem. Enquanto em todas as outras casas havia falta de alimento, na casa de Gideão não faltava pão. Ao invés de reclamar e se lamentar, Gideão partiu para a ação;
  •  Uma mensagem de Deus é direcionada a Gideão: "O Senhor é contigo, varão valoroso." (Jz 6:12b)
   Nas suas tarefas e esforços diários, Gideão não imaginava que Deus estava com ele;

  • Surgem questionamentos:" Se o Senhor é conosco, por que tudo isto nos sobreveio? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o Senhor subir do Egito? Porém, agora, o Senhor nos desamparou e nos deu na mão dos midianitas." (Jz 6:13).
   Ao trazer à tona tal questionamento, Gideão esqueceu-se dos motivos que levaram Israel a viver debaixo da servidão dos midianitas: seus próprios pecados. Mas seu questionamento demonstrava também um inconformismo com a situação atual e um conhecimento de que Deus pode operar grandes coisas em favor dos seus filhos.
   É muito comum, e absolutamente normal (pois somos seres humanos), termos questionamentos em momentos de crise. É claro que nem toda dificuldade pela qual passamos é fruto de pecados que tenhamos cometido como no caso dos israelitas. Muito do que acontece nesse mundo nos parece muito injusto e sem merecimento, mas enquanto vivermos nesse mundo estaremos sujeitos a sermos alvos de injustiças (pois o sistema que rege esse mundo é corrupto) e a sofrermos com enfermidades. Mas podemos ter certeza de que Deus está conosco, assim como Ele estava com Gideão mesmo que este não sentisse isso.

  • Gideão desconhecia seu próprio potencial (vv. 13). E ele apresenta algumas razões segundo as quais não poderia ser usado por Deus:

  1. A tribo a qual sua família pertencia era a menor;
  2. Sua família a menor dessa tribo;
  3. Ele, o menor de sua casa.
   Não entendeu que para agir em meio ao caos, como ele havia agido, era preciso coragem e ousadia. Podia até ser o menor de sua casa, mas foi o único que teve iniciativa.
   Gideão recebe:

  • A promessa da presença de Deus (v.16);
  • Ânimo e confirmação do chamado (vv. 17-21);
  • Intimação de comprometimento (v. 25). Gideão seria usado por Deus, mas precisava estar totalmente comprometido com o Senhor e teve que demonstrar isso derrubando o altar de Baal;
  • Revelação de como se daria o livramento (Jz 7:2). Gideão precisaria agir de acordo com as orientações de Deus. E Deus lhe dá duas ordens:

  1. Mandar que os tímidos e covardes voltassem. 22.000 homens desistiram e voltaram para suas casas, permanecendo 10.000 (Jz 7:3);
  2. Fazer os 10.000 descerem às águas e separar os que bebiam as águas como cão dos que se ajoelhassem para beber. Apenas 300 beberam as águas sem se abaixar e foi junto com esses que Deus o mandou guerrear.Isso significaria confiar em Deus e ir à guerra contra um enorme exército com apenas 300 homens. Mas sua obediência às ordens divinas mostrou que Deus não precisa de um grande exército para vencer batalhas. 
   Israel gozou 40 anos de paz sob Gideão.

   A grande chave para o sucesso que Gideão obteve na batalha foi a obediência a Deus. Seu esforço e dedicação não trariam nenhum resultado se ele não seguisse as orientações que Deus deu a ele acerca da batalha que travaria. 

  Assim como Gideão travamos batalhas diárias, umas mais fáceis de lidar outras extremamente difíceis, mas que em toda e qualquer batalha possamos sempre agir de acordo com o que a Palavra de Deus nos orienta
   
Paz e até.


6 comentários:

  1. Ótima postagem moça! Que o Eterno continue a lhe abençoar...

    ResponderExcluir
  2. Gosto muitos da história de Gideão...alguns traços dele lembra eu mesmo rsrs

    ResponderExcluir
  3. Passamos por dificuldades atualmente parecidas no nosso país.
    Enquanto a nação não se prostrar ao Único e Verdadeiro Deus, viveremos em um eterno Egito.
    Como diz na palavra:
    "Bendita a Nação cujo Deus é o Senhor."

    ResponderExcluir
  4. Jennifer de Medeiros19 de agosto de 2016 01:27

    Mesmo o conteúdo ter sido postado a uns anos atras, a bíblia não muda, e quero dizer que essa postagem me ajudou muito, irei pregar justamente sobre o menor da casa, e as duvidas que eu tinha foram todas esclarecidas com esse post, que Deus continue te usando Fernanda Souza, e peço a Deus que te abençoe grandemente, fica com Deus. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, Jennifer. Deus abençoe sua vida cada vez mais.

      Excluir

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!