Translate

sábado, 13 de julho de 2013

A mulher sunamita (II Rs 4:9-37)

   Essa passagem bíblica conta a história de uma mulher que residia em Suném (por isso é chamada de sunamita). Não se sabe o seu nome, mas sabe-se que era rica (v. 9). Sucedeu que, passando Eliseu por aquela cidade ela o reteve a comer pão em sua casa. E sempre que ele passava por ali se dirigia à casa dela para comer pão.
  1. Servir ao profeta foi iniciativa dela. Ninguém pediu que ela fizesse isso.(voluntariedade para servir) v.9;
  2. Quis oferecer algo mais belo e significativo. Não se conformava em oferecer qualquer coisa,queria excelência (v.10);
  3. Observou que Eliseu era homem de Deus (discernimento espiritual, observadora) v. 9;
  4. Buscou conselho e o apoio do seu marido antes de tomar uma atitude mesmo que seu desejo de servir fosse legítimo (não era precipitada) v.9;
  5. Queria ter o homem de Deus perto de sua família, ter o profeta em sua casa era ter o próprio Deus (intimidade, aproximação) v.10;
  6. Pelo seu zelo e dedicação recebeu uma promessa. Note-se que o que ela fez não foi por interesse, mas mesmo assim recebeu uma promessa de bênção (vv.13,16);
  7. A promessa se cumpriu e ela gerou uma criança, gerou o que não podia (v.17);
  8. O menino cresce e um dia passa mal e morre nos braços da própria mãe, todavia ela não segue a lógica convencional. O curso normal seria enterrar o morto, mas ela vai buscar o profeta. Não desistiu de sua promessa diante de uma impossibilidade (vv.19,20);
  9. O negócio dela era com Deus,com que lhe fez a promessa. Ela não reclama e nem expõe sua aflição a quem nada podia fazer diante daquela situação, mas quando chega diante do profeta derrama a sua alma e expõe toda a sua angústia e sofrimento (vv.26-28);
  10. Eliseu envia Geazi, porém ela não quer substitutos, ela quer aquele que é usado por Deus, ela quer o próprio Deus. Se Deus não está presente a vida não é restaurada e a morte não é vencida (vv.29,30);
  11. O milagre é operado, a vida é restaurada. Ninguém poderia sequer supor o que ela estava passando. No entanto, Deus estava no controle o tempo todo (v.36).
      Medite no exemplo dessa mulher, não desista diante das dificuldades, lute por aquilo que Deus te deu, por sua família, pelo seu chamado, pela sua comunhão com Ele. Vá em frente!
                                          
                                                Té mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!