Translate

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Deixando a ansiedade

   "Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas com ação de graças. E a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus" (Fp 4:6,7).
   
  Ansiedade, estresse, angústia e inquietação, são palavras bastante comuns hoje em dia. Vivemos numa época onde o ritmo é extremamente intenso, frenético, tanto que parece que 24 horas é pouco pra fazer tudo que precisamos e tudo o que queremos. Daí tornou-se comum ouvir as pessoas dizerem: "Que estresse!", "Estou estressado!", "Não aguento tanto estresse!". Dizem por aí que esse é o preço que se paga pelo estilo de vida moderno. Mas será que temos mesmo que viver assim?     
   Quando Paulo escreveu a carta aos Filipenses (por volta do ano 61 d.C.), ele estava preso em Roma. E nesta carta, Paulo fala acerca de coisas que parecem ser completamente opostas ao que alguém na situação a qual ele se encontrava poderia falar. Havia motivos de sobra para angústia, ansiedade, estresse, preocupações, e em alguns momentos esses sentimentos até estavam presentes na vida do apóstolo: "Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece. Todavia fizestes bem em tomar parte nas minhas aflições" (Fp 4:12-14). No entanto, as dificuldades vivenciadas no exercício do ministério que lhe fora confiado pelo próprio Senhor Jesus não eram suficientes para fazê-lo desistir: "Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo" (Fp 3:7,8).
   E Paulo fala de alegria tantas vezes na carta aos Filipenses, que ela é também considerada a "Epístola da Alegria". Mas como, do meio de tantas dificuldades e tribulações, Paulo consegue falar de alegria, regozijo, e ainda mais de paz? Paulo aprendera a vencer a ansiedade através da oração (Fp 4:6). Em um mundo caótico e atribulado, ele nos convida a não nos deixar vencer pela inquietação que a ansiedade provoca, depositando nossas necessidades diante de Deus pela oração.
  Às vezes andamos tão nervosos, preocupados, ansiosos, sem saber o que fazer, tentando de alguma forma solucionar os problemas e obter alívio das pressões do dia a dia e não conseguimos nenhum resultado positivo. E a nossa incapacidade de resolver os problemas na hora que queremos e do modo que desejamos, só faz com que nos estressemos ainda mais. Todavia, a Palavra de Deus nos ensina como acalmar o coração mesmo quando há inquietação por toda parte: orando. Um momento a sós com Deus, quando rasgamos o coração e deixamos tudo que nos inquieta diante dele, fazendo com que as angústias, as dificuldades, as necessidades (todas elas) se tornem conhecidas por Ele. É como convidar o nosso meigo Salvador para entrar no nosso caos e desassossego e ajeitar as coisas pra nós. Pra quê carregar um fardo tão pesado, se podemos trocar pelo fardo dEle que é leve: "Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" (Mt 11:28-30).
   O resultado que essa dependência de Deus traz a nós é um coração guardado pela paz de Deus, uma paz que excede a todo entendimento. A paz que o mundo procura e luta para conquistar é baseada em circunstâncias externas, depende de coisas exteriores, mas a paz de Deus depende única e exclusivamente de Deus.

Paz e até.

6 comentários:

  1. Precisamos nos entregar totalmente a Deus, Ele cuida de nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela participação, querida do Senhor.

      Excluir
  2. Que benção irmã Fernanda.
    Realmente os dias são agitados demais, as pessoas estão tão centradas em seus "mundos" (diga-se de passagem, seus celulares) que não existe mais relacionamento humano, só stress!

    Mas também, como pode um equipamento eletrônico substituir um ser humano! Que agitação!
    Seu texto foi muito proveitoso para uma reflexão bem abrangente quanto a ansiedade. Parabéns!

    do amigo em Cristo
    Pastor Ismael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus abençoe sua vida sempre, pastor Ismael!

      Excluir
  3. A paz amada irmã!! Obrigada por ter visitado o meu blog, fiquei muito feliz!!! Que texto abençoado, está escrito também que temos que lançar todas as nossas ansiedades diante do Senhor. Que possamos crescer juntas na presença do Senhor. Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  4. Boa reflexão! Já passei por experiências em minha vida em que derramei meu coração aflito diante de Deus em oração e Nele encontrei o refrigério. Pois somente no Senhor encontramos a verdadeira paz.

    ResponderExcluir

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!