Translate

terça-feira, 7 de março de 2017

Dorcas: a serva amada

 
  "E havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia.
E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto.
E, como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, lhe mandaram dois homens, rogando-lhe que não se demorasse em vir ter com eles.
E, levantando-se Pedro, foi com eles; e quando chegou o levaram ao quarto alto, e todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando as túnicas e roupas que Dorcas fizera quando estava com elas.
Mas Pedro, fazendo sair a todos, pôs-se de joelhos e orou: e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te. E ela abriu os olhos, e, vendo a Pedro, assentou-se.
E ele, dando-lhe a mão, a levantou e, chamando os santos e as viúvas, apresentou-lha viva.
E foi isto notório por toda a Jope, e muitos creram no Senhor".

(Atos 9:36-42)

   Jope era uma cidade portuária habitada por judeus e gentios. Ficava na fronteira do território original de Dã. E era nessa cidade que vivia Dorcas (em grego) ou Tabita (em aramaico), cujo significado do nome quer dizer ‘gazela’.
  A Bíblia relata que Dorcas era discípula de Jesus (At 9:36 a). Ela é a única mulher a quem se aplica a forma feminina da palavra discípulo o que já a torna alguém muito especial na narrativa bíblica. A palavra discípulo refere-se a um estudante ou aprendiz. O discípulo é um seguidor, alguém que obedece ao chamado de seguir a Cristo. Isto implica em obediência, renúncia e aprendizado constante.
  Dorcas era uma figura necessária para a comunidade cristã, ela era serva dos irmãos e estava cheia de boas obras e esmolas (v. 36 b). Com isso podemos destacar que ela:
  • ·         Era sensível às necessidades dos outros;
  • ·         Usava seu talento para benefício do seu próximo e não para buscar seus próprios interesses;
  • ·         Levava alegria e conforto às pessoas através das costuras que fazia;
  • ·         Ajudava a um grupo que não podia oferecer nada em troca o que mostra sua disposição em ajudar sem interesse;
  • ·         Destacou-se no que fazia, pois fazia com amor e dedicação.

  Apesar de ser discípula e cheia de boas obras, Dorcas adoeceu e morreu (v. 37). Isso mostra que nossa fidelidade a Deus não nos impede de passarmos por adversidades: “No mundo tereis aflições” (Jo 16:33). Mas também podemos ter plena certeza de que independente de qualquer situação o Senhor Jesus sempre estará conosco (Mt 28:20).
   A morte de Dorcas foi sentida por todos. As obras dela falavam por ela e sobreviveram à sua morte. Os que haviam sido tocados por Dorcas e sua bondade, não se conformaram e chamaram Pedro que estava em Lida. Dorcas estava morta, lavada já, preparada para que se desse prosseguimento ao funeral, mas, mesmo assim, chamaram Pedro. Quantas pessoas no seio da igreja morrem espiritualmente, após anos de serviço, e não nos importamos em fazer algo? Quantas vezes somos os primeiros a apontar a queda espiritual de alguém? Dorcas estava fisicamente morta e os irmãos sentiram sua falta, será que sentimos falta dos que morreram espiritualmente? Através da nossa intercessão, palavras de apoio e presença amorosa podemos ajudar a trazer vida a essas pessoas.

   A Bíblia diz que Pedro orou por Dorcas e disse: “Tabita, levanta-te”. Ela ressuscitou e o milagre operado na vida dela tornou-se notório em toda Jope. Muitos creram no Senhor através do milagre operado na vida de Dorcas. Assim como foi com ela, Deus quer glorificar seu nome através de nossas vidas.

Paz e até.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!