Translate

segunda-feira, 29 de julho de 2013

A viúva de Naim (Lc 7:11-17)

   Passar por uma perda é doloroso.Só quem já perdeu um ente querido,um amigo,alguém que significou muito, sabe como é difícil enfrentar essa dor que devasta e ter que continuar vivendo.Às vezes, a dor é tão grande que a vontade é desistir da vida. 
   Lc 7:11-17 relata uma história de grandes perdas na vida de uma mulher. Ela era moradora de um vilarejo chamado Naim, lugar só citado no Evangelho de Lucas, e era viúva.Ela já havia enfrentado a dor de ter que enterrar o marido. Com certeza um momento muito difícil em sua vida, mas ainda tinha um filho e isso poderia trazer alguma esperança ao seu coração. Na cultura judaica daqueles dias, os filhos eram responsáveis pelos seus pais na velhice. Então mesmo após a perda do marido, ela podia encontrar segurança emocional e sustento físico em seu filho.
   Mas, sem que ela esperasse, algo acontece e seu filho falece. E era o único filho daquela mulher, não havia outros. A sua esperança agora estava morta e prestes a ser enterrada. Não havia o que fazer diante de uma calamidade tão grande. Mais uma vez ela se vê de pés e mãos atados diante da morte que carrega para a sepultura mais um membro de sua família.Sonhos jamais seriam realizados, a família estava destruída definitivamente. A única coisa a fazer era preparar o sepultamento e é o que ela faz. A notícia se espalha pela cidade, os vizinhos se aproximam, todos querem demonstrar seus sentimentos. E o cortejo fúnebre segue para fora da cidade acompanhado por uma multidão entristecida diante da impotência provocada pela morte (Lc 7:12).É quando se deparam com Jesus,perto da porta da cidade.Vinha ele acompanhado por uma grande multidão e por muitos dos seus discípulos. Havia um grande contraste entre aquelas duas multidões. Aqueles que saiam da cidade acompanhando o funeral estavam tristes diante da morte, os que seguiam a Jesus iam alegres vivenciando milagres e ensinamentos da verdade. Os que seguiam a Jesus levavam a ele os seus doentes e via-os sendo curados, levavam-lhe possessos e eles eram libertos. Eles viam milagres acontecerem a todo momento.
   Jesus percorrera cerca de 38 Km vindo de Cafarnaum, onde curara o servo de um centurião, até chegar a Naim. Quando Jesus se depara com aquela cena, ele se move de íntima compaixão pela mulher (Lc 7:13), ele vê e se interessa pela necessidade dela.Ela não era uma discípula e não fazia parte daqueles que o seguiam, mas Jesus não está preocupado com rótulos ele está interessado na dor e no sofrimento daquela mulher que estava diante dele. Os milagres não estavam vedados apenas aos seguidores, mas sim aos que necessitavam dele, aos que em algum momento de suas vidas, iam ao encontro de Jesus ou eram encontrados por ele.
   Ele se dirige a ela e lhe diz: "Não chores" (Lc 7:13b).Jesus oferece-lhe uma palavra de consolo para a alma demonstrando seu cuidado pelo emocional da mulher que estava abalado pela perda.Deus se interessa por nossa saúde emocional (Hb 4:12;Pv 4:22;Pv 16:24) e a palavra de Deus tem poder para nos dar a saúde que necessitamos.As palavras de Jesus não são como as dos homens, limitadas,que não podem penetrar o íntimo, as palavras dele a nosso favor têm poder de penetrar o nosso coração e curar as feridas da alma.
   Pessoas haviam falado muitas coisas para aquela mulher na tentativa de consolá-la, mas chegaria o momento em que todos iriam embora e ela teria que enfrentar a realidade sozinha.Ninguém poderia mudar a situação que ela enfrentava.Mas é aí que Jesus chega para mudar a história.
   Após dizer à mulher que não chorasse, Jesus quebra todos os protocolos e toca o esquife (Lc 7:14).Podemos confiar quando Deus nos manda descansar, pois ele trabalha a nosso favor. A palavra de Jesus foi acompanhada de uma atitude que surpreendeu a multidão. Tudo o que um judeu não queria era tocar em alguma coisa imunda e tocar em um caixão tornaria qualquer um impuro,mas não Jesus,pois quando ele toca o morto é para trazer vida. O morto não pode continuar morto depois do seu toque.
   Aqueles que estavam carregando o esquife são obrigados a parar quando Jesus toca-o e ordena:"Jovem, eu te digo:Levanta-te".O milagre é operado "e o rapaz assentou-se e começou a falar e foi entregue à sua mãe" (Lc 7:15).Aquela mãe saíra de casa com um filho morto, sem esperança de futuro, com toda uma gama de sonhos frustrados  e pronta para enterrá-lo,mas ao ter um encontro com o Senhor Jesus vê o impossível acontecer e volta pra casa com a vida totalmente restaurada. Seus sonhos foram restaurados e a vida de seu filho restituída.
   As pessoas que estavam naquele lugar presenciaram o milagre e o temor apoderou-se do coração de todos e aqueles que outrora choravam, agora glorificavam a Deus dizendo:"Um grande profeta se levantou entre nós, e Deus visitou seu povo" (Lc 7:16). Tudo mudou por que aquela multidão e Jesus se encontraram no meio do caminho.
   
    Até.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!