Translate

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Oração eficaz

   O que é oração?
   Segundo o dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, oração é uma súplica religiosa; prece, rogo. Mas eu prefiro definir a oração com uma frase que li certa vez: a oração é um diálogo entre duas pessoas que se amam. Sim, porque temos prazer de conversar com quem amamos.
   Orar é falar com Deus e uma coisa que Deus valoriza é o relacionamento com o ser humano. A Bíblia diz que, no Jardim do Éden, Deus ia ao encontro de Adão e Eva todos os dias pela viração do dia (final do dia) (Gn 3:8). A entrada do pecado no mundo afetou esse relacionamento entre o homem e Deus, mas podemos resgatar um pouco daquele relacionamento de que Adão e Eva desfrutavam, através da oração.
   A oração é um meio de se achegar à presença de Deus, ao trono da graça com confiança. A aproximação  ao santíssimo,que outrora era limitada apenas ao sumo sacerdote, agora, pelo sangue de Jesus, torna-se possível. Mas, alguns parecem ignorar tal bênção. Se na Antiga Aliança, os servos de Deus utilizavam-se da oração para se achegar a Deus, quanto mais quando o véu já foi rasgado deveríamos nos utilizar de tal prática (Hb 10:19-23).
   Jesus fala sobre entrar no seu aposento, fechar a porta e falar ao Pai que Vê o que está oculto (Mt6:6). Isso fala de intimidade e comunhão.
   Queremos conhecer a Deus, ou pelo menos é isso que dizemos,mas como ter intimidade com alguém com quem não nos relacionamos? Como conhecer alguém com quem não travamos diálogo? Impossível. Para conhecer alguém é preciso relacionar-se. A oração é um dos meios de se relacionar com Deus.
   Alguns querem usar a oração como amuleto para conseguir o que querem. Como se a oração fosse uma lâmpada mágica que ativa um poderoso gênio capaz de realizar quaisquer desejos que tenhamos. Mas não é o que a Bíblia ensina acerca da oração.
   Tiago lista dois motivos pelos quais não se alcança algumas coisas (Tg 4:2,3):

  • O ato de não pedir (v.2);
   A pessoa deseja, cobiça, combate, guerreia, mas não alcança nada porque não se volta para Deus e para a oração. Ou seja, tenta com seus próprios esforços mas se esquece de depender de Deus.

  • O ato de pedir mal (v.3).
   Pede, mas não para glorificação do nome de Deus e sim para satisfazer seus desejos egoístas.
   Não seremos atendidos se a oração não estiver de acordo com a plena vontade de Deus, mesmo sendo boa a nossa intenção. Afinal, Deus é soberano. Paulo vivenciou isso quando orou pedindo que Deus o livrasse do espinho na carne (IICo 12:7-9). A resposta não foi como ele esperava e sim:a minha graça te basta! Quando orou, Paulo esperava ser livre desse problema, mas Deus em sua soberania o sustentou com sua graça para que ele suportasse o problema.
   Um exemplo de vida de oração se dá com Neemias. Judá fora levada cativa por ter abandonado o Senhor, seu Deus. Jerusalém e o templo foram destruídos. O cativeiro duraria 70 anos. Após esse tempo, Ciro, em cumprimento à profecia de Isaías (Is 44:28), determina a volta dos judeus à sua terra pátria.Os primeiros exilados voltam sob a liderança de Zorobabel (Ed 2:2), depois um novo grupo retorna a Judá sob a liderança de Esdras (Ed 7:6,7).
   Nesse meio tempo, Neemias fica sabendo que os muros de Jerusalém estavam destruídos. Isso trazia humilhação, insegurança e desencorajamento para o povo. Neemias se entristece, mas não deixa de tomar uma atitude diante da tristeza e da calamidade. Ele vai orar e expor diante de Deus aquilo que estava sentindo e a situação que ele queria ver mudada (Fp 4:6;I Pe 5:7).
   Ele orou no mesmo propósito durante dias (Ne 1:4) e a resposta não foi imediata.
   Neemias era copeiro do rei persa Artaxerxes, que acabou percebendo uma diferença na fisionomia de Neemias e o questionou quanto a isso.Depois de explicar a situação que seu povo enfrentava, é-lhe dada a oportunidade de pedir ao rei o que queria que se fizesse. Mas uma vez vemos Neemias orar. Antes de tomar uma decisão, ele ora. Havia um desejo no coração dele, mas ele queria a direção de Deus (Ne 2:4).
  Neemias é enviado à Jerusalém e começa o trabalho de reedificação dos muros. A oposição surge e diante dela, Neemias não recua, ora (Ne 6:9).
   A obra é finalizada (Ne 7:15) e, com certeza, uma das coisas que garantiram a vitória foi a vida de oração de Neemias.
   Possamos, nós, aprender, a exemplo de grandes homens e mulheres de Deus, quão eficaz é a oração. Já disse alguém: a igreja avança de joelhos. E eu ouso dizer que o crente que não ora é como um filho que não dialoga com seu pai, mas espera receber dele tudo o que quer.
                                                
                                                    Paz.

Um comentário:

  1. Orar pra mim, com Deus,claro, sempre foi funda-
    mental,Deus, pra mim sempre foi, e sempre será
    minha bússula,meu libertador,enfim, tudo de ideal.
    Tenho uama irmã de sangue, que é testemunha de
    tudo que Deus fêz pra mim, ate hoje, e por mais
    ilusões materiais,que venho a ter, jamais, jamais,
    deixarei ELE, e ELE vai fazer mais por mim!!!..

    ResponderExcluir

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!