Translate

sábado, 22 de abril de 2017

O Fruto do Espírito

"Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Contra essas coisas não há lei" (Gl 5:22, 23).

   De acordo com o dicionário fruto significa prole, filho, efeito, resultado, utilidade, rendimento. No sentido bíblico, o fruto está associado a nossas atitudes: "Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa das maus frutos, nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis" (Mt 7: 17 - 20).
   O fruto é resultado de nossa ligação, como varas, à videira que é Cristo: "Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (Jo 15: 1-5). É essa ligação que propicia a produção de frutos que permanecem, pois os frutos não são atos momentâneos, mas sim atos que passam a fazer parte do caráter. O bom fruto só pode ser produzido porque estamos em Cristo e não através de um esforço humano. O fruto que é produzido pela nossa ligação em cristo é constante, permanece para sempre.
   O fruto do Espírito é a manifestação do próprio caráter de Cristo em nós, tornando-nos cada vez mais parecidos com Ele, produzindo mudança de dentro para fora.
   Podemos perceber que a palavra fruto no texto de Gálatas encontra-se no singular e não no plural, significando que é um fruto subdividido em 9 atributos que tem no amor a sua origem: "Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor" (I Jo 4: 7-8). Note-se que esse amor é o amor citado em I Co 13, amor sacrificial, amor ágape que vem do próprio Deus. Somente alguém dotado desse amor pode desenvolver esses atributos.
   No texto da carta de Paulo aos Gálatas é perceptível a diferença entre as obras da carne e o fruto do Espírito. Paulo estabelece parâmetros que diferenciam os que são de Deus daqueles que não são. Muita gente quer tomar posse de bênçãos materiais, mas não se interessam em tomar posse da maior de todas as bênçãos: a vitória sobre o pecado através do sangue de Jesus Cristo. Preferem usar a desculpa de que a carne é fraca, ao invés de decidirem experimentar o novo nascimento operado por nosso Senhor Jesus e viver uma nova vida onde o fruto seja produzido por intermédio do Espírito Santo.
   O fruto do Espírito é demonstrado nas relações com os outros. Se há uma coisa difícil nessa vida são os relacionamentos humanos. Afinal de contas ninguém é exatamente igual a ninguém. Lidamos muitas vezes com pessoas difíceis, com situações delicadas, onde as boas atitudes dependerão diretamente se temos ou não o fruto do Espírito. Muitos dizem-se nascidos de novo, mas brigam, gritam, iram-se sem motivo, escandalizam, são grosseiros no trato com os outros...É quando somos confrontados que poderemos mostrar a verdadeira mudança operada em nós.
   Compõem o fruto do Espírito:

  • Amor - Amor ágape, amor divino. Emana de Deus para o homem (I Co 13 - um tratado sobre o amor).
  • Paz - Não é ausência de conflito, mas tranquilidade mesmo em meio a dificuldades. Essa paz excede a todo entendimento (Fp 4:7).
  • Alegria (gozo) - Resultado de um senso de bem estar e prazer na presença de Deus e que deriva de intimidade com Deus. Não está baseada em circunstâncias externas, mas no relacionamento com Deus (Fp 4:4).
  • Longanimidade - Paciência, tolerância.
  • Benignidade - Gentileza e bondade.
  • Bondade - Boa índole, qualidade do que é bom.
  • Domínio próprio - Temperança, autocontrole. Ajuda-nos a rejeitar o mal, dando-nos capacidade para discernir entre o que é certo e o que é errado.
  • Mansidão - Placidez e modéstia (Mt 5:5).
  • Fidelidade (fé) - Lealdade. Quando se possui essa característica independente de qualquer situação mantemos a fé em Deus e em sua palavra.
   Que o Espírito Santo nos ajude a sermos transformados à semelhança de Cristo até que cheguemos à estatura de perfeição.

Paz e até.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adorei sua visita! Deixe seu comentário!